Screening pré implantacional (PGS) - ASSISTA O VÍDEO DA BIÓPSIA EMBRIONÁRIA

Data: 
sexta-feira, 2 Março, 2012 - 18:10
Screening pré implantacional (PGS) - ASSISTA O VÍDEO DA BIÓPSIA EMBRIONÁRIA

Uma nova técnica com maior acurácia no diagnóstico pré-implantacional (PGD)

Em outubro de 2010 chegou ao Brasil a técnica de microarray - COMPARATIVE GENOMIC HYBRIDIZATION (a-CGH), a qual, junto com a biópsia de BLASTOCISTO (embrião no quinto dia de vida) aumenta a acerácea no diagnóstico de aneuploidias (alterações no número de cromossomos). Atualmente (2016) utilizamos a técnica NGS considereda mais eficaz que a CGH.

Um grande número de embriões considerados de boa qualidade morfológica (aqueles que chamamos de “bonitos”) pode apresentar alterações no número dos cromossomos. Até 2010 só conseguíamos identificar 12 cromossomos (dos 24 que possuímos) através da técnica de hibridização fluorescente in situ (FISH) e a biópsia era realizada em apenas 1 célula no terceiro dia de vida do embrião.

A aneuploidia é uma das principais causas de falha em tratamentos de fertilização in viro e sua frequência aumenta em função da idade da mulher.Com o aprimoramento na técnica de biópsia de blastocisto junto com a NGS conseguimos identificar alterações numéricas nos 24 cromossomos, diminuindo assim a chance de erro, pois mais células serão analisadas, ao contrario do PGD de célula única onde a taxa de mosaicismo (embriões com células normais e alteradas) era relativamente alta.

Como é realizado:

No terceiro dia de vida os embriões são submetidos ao Assisted Hatching (pequeno orifício na zona pelúcida realizado com laser), desta forma, parte das células trofodérmicas (que darão origem à placenta) estará saindo por este orifício no quinto dia de vida se o embrião chegar ao estagio de Blastocisto. Estas células são aspiradas e separadas do restante do embrião com o laser e enviadas para analise cromossômica. Em 30 horas conseguimos o resultado e os embriões normais podem ser transferidos no dia seguinte (sexto dia de vida).

A taxa de gravidez, sem dúvida nenhuma, aumenta quando transferimos embriões geneticamente normais podendo chegar a 80% quando transferimos 2 blastocistos normais. Outra vantagem é a diminuição na incidência de gestação múltipla, pois iremos transferir um menor numero de embriões. Array-CGH é uma técnica de citogenética molecular que permite verificar se há perdas ou ganhos de segmentos cromossômicos submicroscópicos no genoma de um indivíduo.

O cariótipo por bandeamento G é uma técnica citogenética que oferece informação semelhante, mas com limite de resolução bem menor.Esta técnica detecta todas as alterações numéricas dos cromossomos (trissomias, monossomias), entretanto, o exame de array-CGH não é capaz de detectar triploidias, tetraploidias, alterações cromossômicas equilibradas, como translocações recíprocas, inversões ou inserções; também não identifica alterações do DNA mitocondrial e mutações de ponto. Alterações cromossômicas em mosaico com frequência inferior a 30% podem não ser identificadas. Em trabalho publicado na Human Reproduction de 2011 a analise de 52 blastocistos de mulheres entre 24 e 42 anos (média de 36 anos) detectou 42% de embriões normais, 30% anormais e 32% mosaicos sendo que destes últimos menos de 6% tinham mais de 30% de células normais.

Principais vantagens da técnica:

  • Múltiplas células são analisadas aumentando a acerácea no diagnóstico (diminui muito a chance de erro por mosaicismo)
  • A biópsia é realizada nas células que irão formar a placenta e não o feto
  • A análise cromossômica é completa (23 pares + cromossomos sexuais – X e Y)
  • Aumenta a taxa de implantação e diminui a incidência de gestação múltipla

Principais indicações:

  • Mulheres com mais de 35 anos
  • Mulheres com história de abortos repetidos
  • História de anomalias cromossômicas na família
  • Casais que tiveram várias tentativas de FIV sem sucesso

O custo ainda é relativamente alto, porém, em muitos casos pode evitar uma transferência que resultaria em abortamento ou em falha na tentativa. Acredito que o a-CGH com biopsia de blastocisto, em alguns anos, substituirá totalmente o PGD de célula única.

Vantagens:

A seleção natural no desenvolvimento dos embriões até o estágio de blastocisto, implica em uma diminuição do número de embriões a serem examinados e a redução relativa no custo financeiro do exame quando comparado ao PGD-FISH realizado no 3º dia. O PGD-FISH examina mais embriões em uma fase mais precoce de desenvolvimento e por isto pode representar, na conta final, um custo maior.

Riscos:

Se, por um lado, a seleção natural até o estágio de blastocisto pode representar uma vantagem, o casal deve estar ciente que esta redução pode ser tão grande a ponto de não ter embriões para ser transferidos. Outra possibilidade é ter blastocistos, a biópsia ser realizada e revelar que todos os embriões são alterados. Nestas duas situações, infelizmente, não haverá transferência. É importante que saibam que este fato, provavelmente apenas está antecipando um resultado negativo de gravidez. Sabemos que a frustração é sempre muito grande frente a estas notícias, entretanto, o casal deve estar preparado para estas possibilidades.

Vale ressaltar que a técnica é apenas um método para auxiliar na identificação do(s) melhor (es) embrião (ões) e não uma descoberta que irá solucionar todas as causas de infertilidade.

......................................................................................................................................................

Referências:

CYTOGENETIC ANALYSIS OF HUMAN BLASTOCYSTS WITH THE USE OF FISH, CGH AND aCGH: Scientific data and technical evaluation. Elpida Fragouli, et al. Human Reproduction Vol 26, N.02 480-490, 2011

TROPHECTODERM BIOPSY FOR ANEUPLOIDY TESTING: PRELIMINARY OBSERVATIONS AND ONGOING PREGNANCIES.R. F. Feinberg, G. Kovalevsky, C. F. Boylan, S. M. Carney, L. S. Morrison, M. P. Portmann. Reproductive Associates of Delaware, Newark, DE.

CHARACTERIZING THE RELATIONSHIP BETWEEN MORPHOLOGIC EMBRYONIC DEVELOPMENT AND PLOIDY STATUS AS ASSESSED BY 24 CHROMOSOME MICROARRAY PGD.K. L. Scott, D. Taylor, K. Ferry, N. Treff, R. T. Scott. Reproductive Medicine Associates of New Jersey, Morristown, NJ; Division of Reproductive Endocrinology,Department of Obstetrics Gynecology and Reproductive Sciences, Robert Wood Johnson Medical School, New Brunswick, NJ.

THE UNBELIEVABLE SHRINKING MOSAICISM PROBLEM OF PGD. T. Escudero, C. Gutierrez, P. Colls, D. Hill, K. Wiemer, M. Santi. Reprogenetics,Livingston, NJ; ART Reproductive Center, Beverly Hills, CA; Northwest Center for Reproductive Sciences, Kirkland, WA.

FIRST PREGNANCIES AFTER BLASTOCYST BIOPSYAND RAPID 24 CHROMOSOME ANEUPLOIDY SCREENING ALLOWING A FRESH TRANSFER WITHIN FOUR HOURS OF BIOPSY.N. R. Treff, X. Tao, D. Taylor, K. M. Ferry, R. T. Scott, Jr. Reproductive MedicineAssociates of New Jersey, Morristown, NJ; UMDNJ-Robert Wood Johnson Medical School, New Brunswick, NJ.

Parceiros

     

 

Dra. Daniella S. Castellotti

CRM-SP 76.932

R: Groenlândia, 538 - Jd. América
01434-000 - São Paulo - SP
Tel. (11) 3051.8442

Fale Conosco